Good girls go to heaven, bad girls go everywhere!!

Quem era ele e ela? Eles eram as coisas mais lindas daquela ruela, sem se falar no sentimento dela que de toda a vez que passava por ele uma enorme chama acendia no seu olhar, olhava-o de cima a baixo sem o queimar mas aposto que era demasiado o desejo de lhe tocar. Sorria cada vez que o via e todas as noites ignora o relógio para não se ir embora. Ele implora-lhe todos os dias para que não vá embora, mas ele pega no seu casaco e é o primeiro a ir em frente.
Ela segura do lado de cá o seu coração, pois sabe que para não variar sérios dias iram passar e nem uma mensagem dele vai chegar ao seu celular. Era consumida pela saudade e a cada dia pegava em cadernos antigos e numa caneta, pousava sobre a mesa o que necessitava para lhe falar e com a sua mão esquerda segurava a cabeça enquanto pensava por onde haveria de começar. E passavam uma, duas e três horas, mantinha-se sempre no mesmo local, ficava certamente a recordar onde ele estaria e porque partira sempre.
Apagava as velas e deitava-se no sofá, cobria-se no seu manto amarelo e não tirava os olhos da porta ansiando que ele aparecesse do jeito arrebatador como era costume dele. Acabava adormecendo… com as lágrimas a escorrerem-lhe a face.

(inventado)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seguidores